História, localização e infra-estruturas.

Os serviços e as pessoas.

Organização, departamentos e centros de recursos.

CET, Licenciaturas e Mestrados.

Programas e projectos de investigação.

Apoio e transferência de conhecimento.

A atmosfera, as instalações, as pessoas.

Acontece na ESA.

 

Blogue Notícias ESA
IPB.Virtual - plataforma de e-learning e de e-research
Clima na Escola Superior Agrária de Bragança
Portal Candidato IPB
II Congresso Nacional das Escolas Superiores Agrárias
Ligações B-ON - Biblioteca do Conhecimento OnlinePlataforma DeGóis - Plataforma Nacional de Ciência e TecnologiaCampus Virtual IPB

Detecção remota da doença da tinta e cadastro da área de castanheiro da Terra Fria de Bragança e Padrela por fotografia aérea de infravermelho próximo


Objectivos:

Após o enorme declínio da área de castanheiro em Portugal - que passou de 70.000 ha nos anos 50 para cerca de 30.000 ha actualmente - a castanheicultura transmontana assiste agora a uma inflexão dessa tendência e que se reflecte nos mais de 1.500 ha/ano de novas plantações ao abrigo de programas de apoio financeiro nos últimos 5 anos. A cultura do castanheiro no norte interior de Portugal assiste a um considerável aumento de área plantada, em muito por causa da favorável colocação do fruto em fresco no mercado. Muitas dessas áreas estão invadidas pelo fungo oomiceta do solo Phytophthora cinnamomi, patogénio mais associado à doença da tinta, cuja expressão sintomatológica se caracteriza por clorose, transparência de copa e emurchecimento da folhagem. Esta alteração reflecte-se na assinatura espectral dos copados que pode ser detectada e interpretada por detecção remota com recurso a fotografia aérea de infravermelho próximo e imagens digitais. Inventariar a área de castanhal e a severidade da doença da tinta observada nas áreas ecológica e estatisticamente mais representativas na Terra Fria de Bragança e Soutos da Padrela é o principal objectivo deste projecto. Serão usadas aeronaves e outras plataformas aéreas equipadas com câmaras fotográficas de pequeno formato. As alterações das assinaturas espectrais dos copados serão registadas em fotografias policromadas e de infravermelho próximo. Utilizar-se-á ainda a estereoscopia de pares e a análise densitométrica na interpretação das imagens. Os resultados serão confrontados com dados de campo obtidos em povoamentos adjacentes, sãos e afectados pela tinta, com auxílio de ceptómetros e de escalas próprias diagramáticas de intensidade da doença.

Responsável na ESA:

Prof. Doutor João Paulo Miranda de Castro
Tel: 273 303341 E-mail: jpmc@ipb.pt
Departamento: Florestal

Outras Instituições Participantes:

  • Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
  • Direcção Regional de Agricultura de Trás-os-Montes e Alto Douro
  • Associação Florestal da Terra Fria Transmontana
  • Associação Regional dos Agricultores das Terras de Montenegro

Financiamento:

Programa AGRO, Medida 8, Acção 8.1

Duração:

De 2001-12-01 a 2004-11-30.