Processo de Eleição do Diretor da ESA

 

História, localização e infra-estruturas.

Os serviços e as pessoas.

Organização, departamentos e centros de recursos.

CET, Licenciaturas e Mestrados.

Programas e projectos de investigação.

Apoio e transferência de conhecimento.

A atmosfera, as instalações, as pessoas.

Acontece na ESA.

 

Blogue Notícias ESA
IPB.Virtual - plataforma de e-learning e de e-research
Portal Candidato IPB
Ligações B-ON - Biblioteca do Conhecimento OnlinePlataforma DeGóis - Plataforma Nacional de Ciência e TecnologiaCampus Virtual IPB

Biotecnologia Microbiana


Área Científica: Engenharia e Técnicas Afins
Ano: 3º
Semestre: 2
Créditos: 6 ECTS
Horas de contacto: 30 T, 30 PL, 4 OT

Objectivos/Competências adquiridas:

A Biotecnologia Microbiana resulta da integração das ciências naturais e da Engenharia de forma a conseguir a aplicação de organismos, células ou partes dos mesmos e análogos moleculares em produtos e serviços.
Pretende-se com esta unidade curricular levar os alunos a adquirir conhecimentos teóricos sobre fisiologia dos microrganismos e técnicas moleculares de forma a obter produtos diversos de interesse industrial; selecionar os sistemas genéticos mais adequados para cada tipo de produto; aplicar os diferentes tipos de modificações nos sectores (alimentar, agrícola, farmacêutico e ambiental); conhecer as aplicações atuais e perspetivas em diferentes processos tecnológicos (vacinas, probióticos, biodegradação).

Conteúdo da unidade curricular:

Definição e Etapas de um processo biotecnológico microbiano. Grupos de microrganismos de interesse industrial. Estrutura do gene e relação gene/proteína; Expressão, dobragem e translocação de proteínas.
Manipulação da expressão génica em células eucarióticas e procarióticas. Sistemas de expressão de proteínas homólogas e heterólogas em procariotas e eucariotas. Engenharia de proteínas: mutagénese dirigida e mutagénese ao acaso, metodologia e exemplos de proteínas modificadas. Desenho de enzimas: princípios e exemplos. Aplicações de microrganismos geneticamente modificados nos diversos sectores: indústria farmacêutica (fármacos, hormonas, interferões), indústria alimentar (enzimas, proteínas, probióticos), diagnóstico e investigação (enzimas de restrição, anticorpos monoclonais e recombinantes), e produção de energia (etanol, metano).

Bibliografia recomendada:

Alberghina L. (2000) Protein Engineering, in Industrial Biotecnology, Harwood Academic Publishers.
Baltz R.H., Davies J.E., Demain A. L. (2010) Manual of industrial Microbiology and Biotecnology, ed. Baltz, Davies and Demain
Glazer N. (2007) Microbial Biotechnology, Cambridge University press
Kaumaya P. (2012) Protein Engineering, edited by Kaumaya
Wilson K., Walker J. (2005) Principles and Techniques of Biochemistry and Molecular Biology. Sixth edition. Cambrige University Press. New York. USA.


T = teóricas; TP = teórico-práticas; PL = ensino prático e laboratorial; TC = trabalho de campo; S = seminário; E = estágio; OT = orientação tutória;