História, localização e infra-estruturas.

Os serviços e as pessoas.

Organização, departamentos e centros de recursos.

CET, Licenciaturas e Mestrados.

Programas e projectos de investigação.

Apoio e transferência de conhecimento.

A atmosfera, as instalações, as pessoas.

Acontece na ESA.

 

Blogue Notícias ESA
IPB.Virtual - plataforma de e-learning e de e-research
Curso de seleção e qualificação de provadores
Clima na Escola Superior Agrária de Bragança
Estação Hidrométrica do Pontão do IPB
Portal Candidato IPB
Ligações B-ON - Biblioteca do Conhecimento OnlinePlataforma DeGóis - Plataforma Nacional de Ciência e TecnologiaCampus Virtual IPB

Gestão e Conservação Ecoeficiente de Espécies Herbáceas


Área Científica: Produção Agrícola e Animal
Ano: 1º
Semestre: 2
Créditos: 6 ECTS
Horas de contacto: 30 T, 30 PL, 4 OT

Objectivos/Competências adquiridas:

No final desta unidade curricular os alunos devem:
Compreender o comportamento agroecológico de uma planta integrada numa comunidade vegetal;
Conhecer a biologia, ecologia e comportamento agronómico de espécies herbáceas utilizadas para fins alimentares, energéticos, fitodietéticos e medicinais;
Intervir nos processos produtivos com a implementação de práticas minimizadoras de impactes ambientais;
Equacionar soluções alternativas às culturas convencionais, como as matérias-primas utilizadas para a produção de biocombustível, têxteis, etc.;
Integrar técnicas de agricultura de conservação nos processos produtivos;
Conhecer as potencialidades e os recursos disponíveis para a implementação de técnicas de agricultura de precisão;
Compreender a importância dos recursos fitogenéticos e as estratégias para a sua conservação;
Reconhecer áreas de necessidade de investigação e participar em iniciativas de desenvolvimento experimental.

Conteúdo da unidade curricular:

Os sectores hortícola e horto-industrial. Estratégias agroecológicas para os sistemas de agricultura intensivos.
O sector arvense de grandes áreas. A rotação na base da sustentabilidade. Extensificação da produção em agricultura herbácea.
As culturas energéticas e os biocombustíveis. Recursos energéticos vegetais à escala mundial e a escalas locais.
Sistemas de mobilização: energia, sequestro de carbono, conservação do solo.
Os evergreen systems: culturas de cobertura; culturas de captura; e consociações.
Leguminosas na rotação e siderações. Fixação biológica de azoto. Sistemas simbióticos. Transferência espacial e temporal de azoto entre culturas.
Agricultura de precisão. Estratégias e metodologias para a gestão dos fatores de produção ao nível da parcela
Erosão genética associada aos sistemas de agricultura convencionais. Papel dos sistemas de agricultura alternativos na conservação in situ dos recursos fitogenéticos.

Bibliografia recomendada:

Castro, P. and R. Kluge. 1999. Ecofisiologia de cultivos anuais. Nobel, S. Paulo. Brasil.
Cubero, J. I. y M. T. Moreno. 1983. Leguminosas de grano. Ed. Mundi-Prensa. Madrid.
Francis, C., Flora, C. & King, L. 1990. Sustainable agriculture in temperate zones. John Wiley & Sons, Inc., New York.
Fuller, G., McKeon, T. & Bills, D. 1996. Agricultural materials as renewable resources. Non-food and industrial applications. Am. Chem. Soc. Washington, DC.
Guerrero, A. 1999. Cultivos herbaceos extensivos. 6ª ed. Ediciones Mundi-Prensa. Madrid.
Hall, A. E. 2001. Crop responses to environment. CRC Press, New York.
Kimber, D. S. and D. I. McGregor. 1995. Brassica oilseeds: production and utilization. CAB International. U. K.
Trenkel. 2007. Ullmann’s Agrochemicals. Vol.3. Fertilizers. pp 1-142. Wiley-VCH Verlag GmbH & Co. KGaA, Weinheim.
Villalobos, F., Mateos, L., Orgaz, F. & Fereres, E. 2002. Fitotecnia: Bases y tecnologías de la producción agrícola. Mundi-Prensa, Madrid.


T = teóricas; TP = teórico-práticas; PL = ensino prático e laboratorial; TC = trabalho de campo; S = seminário; E = estágio; OT = orientação tutória;