Processo de Eleição do Diretor da ESA

 

História, localização e infra-estruturas.

Os serviços e as pessoas.

Organização, departamentos e centros de recursos.

CET, Licenciaturas e Mestrados.

Programas e projectos de investigação.

Apoio e transferência de conhecimento.

A atmosfera, as instalações, as pessoas.

Acontece na ESA.

 

Blogue Notícias ESA
IPB.Virtual - plataforma de e-learning e de e-research
Portal Candidato IPB
Ligações B-ON - Biblioteca do Conhecimento OnlinePlataforma DeGóis - Plataforma Nacional de Ciência e TecnologiaCampus Virtual IPB

Qualidade e Segurança em Plantas Aromáticas e Medicinais


Área Científica: Indústrias Transformadoras
Ano: 3º
Semestre: 2
Créditos: 5,5 ECTS
Horas de contacto: 30 T, 26 PL, 4 S, 20 OT

Objectivos/Competências adquiridas:

Identificar os principais aspectos relacionados com a problemática do controlo de qualidade e segurança alimentar na produção de plantas aromáticas e medicinais;
Conhecer a legislação nacional e europeia para o sector.
Identificar e interpretar os requisitos das normas que regem os sistemas da qualidade.
Obter conhecimentos para a implementação de sistemas de gestão da qualidade e de HACCP (Hazard Analysis Critical Control Points).
Saber da importância do controlo de qualidade e ser capaz de implementar ou propor metodologias para controlar a qualidade e rastreabilidade em plantas aromáticas e medicinais.
Utilizar os conhecimentos adquiridos na implementação, avaliação e melhoria de sistemas de gestão da qualidade.

Conteúdo da unidade curricular:

  • Qualidade: Conceitos; Elementos da Gestão pela Qualidade Total. O Sistema Português da Qualidade e Instituto Português da Qualidade; Subsistemas de Normalização, Metrologia, Qualificação, Acreditação, Certificação.
  • Segurança Alimentar: Livro Branco sobre Segurança Alimentar. Directrizes. “Pacote Higiene”. A importância da Rastreabilidade.
  • Perigos de Segurança de PAM: Perigos biológicos. Perigos físicos. Perigos químicos: - Contaminantes de origem industrial e ambiental (metais pesados, nitratos e nitritos, dioxinas); - Resíduos de pesticidas; - Contaminantes de origem biológica (micotoxinas; contaminantes resultantes do processamento). Aditivos. Outros.
  • Hazard Analysis Critical Control Points: Conceito e definições. Programa de Pré-requisitos e plano do Sistema HACCP.
  • Sistemas de Gestão da Qualidade: Referenciais Normativos. NP EN ISO 9000. ISO NP EN 22000.
  • Estudos de caso: Apresentação de exemplos de aplicação das metodologias de HACCP e sistemas de rastreabilidade em PAM.

Bibliografia recomendada:

Bank, J., 1988. Qualidade total, Edições CETOP.
Crosby, 1979. Quality is free. Mc Graw-Hill.
Juran, J., 1988. Quality Control Handbook. Mc Graw-Hill.
Standards NP, EN and ISO.
Vaz, A., Moreira, R.; Hogg, T., 2000. Introdução ao HACCP. Escola Superior de Biotecnologia – Universidade Católica Portuguesa.
Informação disponibilizada nos sites: http://www.Icd.online.org.; http://www.ipq.pt.; http://europa.eu.int/; http://www.codexalimentarius.net/. http://www.iso.org.
Artigos publicados em revistas disponíveis em bases de dados na ESAB, nomeadamente: Food Chemistry, Food Control; Journal of Agricultural and Food Chemistry; Fitoterapia; Journal of Ethnopharmacology.


T = teóricas; TP = teórico-práticas; PL = ensino prático e laboratorial; TC = trabalho de campo; S = seminário; E = estágio; OT = orientação tutória;