Eleição das Comissões de Curso da ESA – 2017

 

História, localização e infra-estruturas.

Os serviços e as pessoas.

Organização, departamentos e centros de recursos.

CET, Licenciaturas e Mestrados.

Programas e projectos de investigação.

Apoio e transferência de conhecimento.

A atmosfera, as instalações, as pessoas.

Acontece na ESA.

 

Blogue Notícias ESA
IPB.Virtual - plataforma de e-learning e de e-research
Clima na Escola Superior Agrária de Bragança
Portal Candidato IPB
Ligações B-ON - Biblioteca do Conhecimento OnlinePlataforma DeGóis - Plataforma Nacional de Ciência e TecnologiaCampus Virtual IPB

Empreendedorismo


Área Científica: Ciências Sociais e Empresariais
Ano: 3º
Semestre: 2
Créditos: 6 ECTS
Horas de contacto: 30 T, 18 PL, 6 TC, 6 S, 20 OT

Objectivos/Competências adquiridas:

No final do período o aluno deverá ser capaz de:

  • Identificar as condicionantes ao desenvolvimento do empreendedorismo.
  • Determinar os factores associados ao êxito do empreendedorismo.
  • Conhecer e compreender as vantagens e os inconvenientes de criar/possuir uma empresa.
  • Conhecer as fases do processo de criação de uma empresa.
  • Criar ou desenvolver um negócio específico.

Conteúdo da unidade curricular:

I – Componente teórica: Unidades temáticas
1. Empreendedorismo: Conceito e multidisciplinaridade; Tipos de empreendedorismo. Factores determinantes do empreendedorismo (oportunidade, conhecimento e necessidade): A taxa de actividade empreendedora (TEA), comparação da TEA entre países. Factores económicos, sociais e culturais. Empreendedorismo: a realidade portuguesa. Factores condicionantes do empreendedorismo: Contexto social, cultural e político. Condições específicas: mercado laboral, financiamento; política fiscal; política governamental; clima económico cultural e social, infra-estruturas. Financiamento e empreendedorismo: Relevância e modalidades de financiamento. Clusters e empreendedorismo: Características e vantagens comparativas. Clusters como factor associado à criação de empresas Políticas públicas de apoio ao empreendedorismo: Na vertente da procura (quadro legal e regulamentar, concorrência e política tecnológica). Na vertente da oferta (política regional e fiscal). Na vertente dos recursos humanos (disponibilidade, conhecimento e formação)
II – Componente prática: Estudo de casos reais, elaboração de um plano de negócios (trabalho prático), visitas de estudo e seminários.

Bibliografia recomendada:

Badoc, M., (2001), “O marketing da Start-up, conceitos, princípios e métodos para lançar com êxito a sua empresa”, Bertrand Editora.
Pereira, J., (1991), “Criar uma empresa, alternativa ao desemprego”, Colecção estudos nº9, IEFP, Lisboa.
Enright, M., (2000), “Regional Clustering: a policy perspective”, OCDE, Paris.
OCDE, (1998), “Fostering Entrepreneurship”, OCDE, Paris.
OCDE, (1999), “Boosting Innovation – the cluster approach”, OCDE, Paris.
OCDE, (2001), “Business Views on Red Tape”, OCDE, Paris.
OCDE, (2001), “Enhancing SME Competitiveness – the OECD Bologna Ministerial Conference”, OCDE Paris.


T = teóricas; TP = teórico-práticas; PL = ensino prático e laboratorial; TC = trabalho de campo; S = seminário; E = estágio; OT = orientação tutória;