História, localização e infra-estruturas.

Os serviços e as pessoas.

Organização, departamentos e centros de recursos.

CET, Licenciaturas e Mestrados.

Programas e projectos de investigação.

Apoio e transferência de conhecimento.

A atmosfera, as instalações, as pessoas.

Acontece na ESA.

 

Blogue Notícias ESA
IPB.Virtual - plataforma de e-learning e de e-research
Clima na Escola Superior Agrária de Bragança
Portal Candidato IPB
Ligações B-ON - Biblioteca do Conhecimento OnlinePlataforma DeGóis - Plataforma Nacional de Ciência e TecnologiaCampus Virtual IPB

Culturas Arvenses


Área Científica: Produção Agrícola e Animal
Ano: 3º
Semestre: 2
Créditos: 6 ECTS
Horas de contacto: 30 T, 4 PL, 20 TC, 20 OT, 6 O

Objectivos/Competências adquiridas:

Capacidade para coordenar e realizar práticas fitotécnicas à escala da exploração no domínio das culturas arvenses. Integrar conhecimentos e apresentar capacidade de interagir ao nível de agrupamento de produtores, associações e cooperativas a operar no sector arvense. Capacidade de assimilar, aplicar e transmitir novos conhecimentos de índole conjuntural, técnica e científica nesta área do conhecimento. Apoiar actividades/iniciativas de investigação e demonstração com elevada auto-suficiência na execução de tarefas previamente definidas.

Conteúdo da unidade curricular:

Culturas Arvenses: definição e conceitos associados; importância e distribuição mundial; as culturas arvenses em Portugal. Estudo especializado das culturas arvenses de maior importância Nacional (trigo, cevada, arroz, milho, tomate industrial, batata, …): Aspectos botânicos; Ecofisiologia; Ciclo vegetativo e desenvolvimento fenológico; Técnica cultural (preparação do terreno, sementeira, fertilização, tratamentos fitossanitários, rega, colheita); Aspectos qualitativos (conservação, transformação e utilização); Variedades e melhoramento genético; Inserção na rotação. Identificação de material vegetal: Identificação de cereais outono-inverno; Identificação dos estados fenológicos dos cereais; Estados fenológicos noutros grupos de culturas; Identificação de sementes de plantas cultivadas.

Bibliografia recomendada:

Bartolini. R. 1990. El maiz. Agroguias Mundi-Prensa. Madrid.
Cano, J. L. M. 1989. La cebada. Ediciones Mundi-Prensa. Madrid.
Castro, P. and R. Kluge. 1999. Ecofisiologia de cultivos anuais. Nobel, S. Paulo. Brasil.
Gooding, M. J. and W. P. Davies. 1997. Wheat Production and Utilization: Systems, Quality and the Environment. CAB International. Reino Unido.
Guedes-Pinto, H., N. Darvey and V. Carnide. 1996. Triticale: today and tomorow. Kluwer Academic Publishers. Dordrecht, The Netherlands.
Guerrero, A. 1999. Cultivos herbaceos extensivos. 6ª ed. Ediciones Mundi-Prensa. Madrid.
Hall, A. E. 2001. Crop responses to environment. CRC Press, New York.
Harris, P. 1992. The potato crop. The scientific basis for improvement. 2ª ed. Chapman & Hall. London.
Nuez, F. 1995. El cultivo del tomate. Ed. Mundi-Prensa. Madrid.
Pedroso, B. A. 1985. Arroz irrigado. Obtenção e manejo de cultivares. 2ª ed. SAGRA. Porto Alegre. Brasil.
Rodrigues, M. A. 2003. A cultura do centeio: apontamentos didácticos. AEESAB, 9p.
Rodrigues, M. A. 2003. A cultura do trigo: apontamentos didácticos. AEESAB, 38p.
Tinarelli, A. 1989. El arroz. Ed. Mundi-Prensa. Madrid.
Villalobos, F., Mateos, L., Orgaz, F. & Fereres, E. 2002. Fitotecnia: Bases y tecnologías de la producción agrícola. Mundi-Prensa, Madrid.


T = teóricas; TP = teórico-práticas; PL = ensino prático e laboratorial; TC = trabalho de campo; S = seminário; E = estágio; OT = orientação tutória;