Notícias ESA

Blogue de notícias da Escola Superior Agrária de Bragança

Tag: ESA-IPB (page 1 of 2)

A Escola Superior Agrária no Há Volta da RTP

Os nossos Cientistas à Volta, no programa HÁ VOLTA da RTP1, na etapa 3 da Volta a Portugal, na cidade de Bragança.

Cientistas:

  • José Alberto Pereira, professor na Escola Superior Agrária na área da Produção e Tecnologia Vegetal e investigador no Centro de Investigação de Montanha (CIMO) do Instituto Politécnico de Bragança no projeto: “OliveOld”, uma investigação que recai na identificação e caraterização de oliveiras centenárias para obtenção de produtos diferenciados.
  • Ana Maria Carvalho, professora na Escola Superior Agrária, na área da Biologia e Biotecnologia e investigadora do Centro de Investigação de Montanha do Instituto Politécnico de Bragança, onde é feito um trabalho de reconhecimento e inventariação da diversidade biológica, concretamente em plantas vasculares e macrofungos.
  • Bruno Navarro, Presidente do Conselho Diretivo do Côa Parque – Museu do Côa

Porque a volta tem ciência!

Candidaturas para o ano letivo 2017/2018

Candidaturas para o ano letivo 2017/2018

Candidaturas para o ano letivo 2017/2018

O Portal do Candidato do Instituto Politécnico de Bragança (IPB) é o principal veículo de comunicação com os candidatos ao ingresso no presente ano letivo de 2017/2018, para os Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSPs) e ciclos de estudo de Licenciatura e Mestrado.

As candidaturas aos ciclos de estudo de Mestrado e aos Cursos Técnicos Superiores Profissionais podem ser efetuadas via Internet em candidaturas.ipb.pt.


O período de candidaturas decorrerá de 05 de junho a 31 de agosto de 2017.

Esteja atento à atualização deste portal, onde será disponibilizada toda a informação necessária à candidatura ao ingresso no IPB e respetivos resultados. Para informação adicional sobre o IPB, as suas Escolas, a sua oferta formativa e informações gerais aos alunos, consulte o Guia ECTS do IPB.


Principais datas para o ano letivo de 2017/2018:

Candidaturas: de 05 de junho a 31 de agosto de 2017

Afixação dos resultados: 15 de setembro de 2017

Matrículas dos candidatos colocados pelo Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior (Coordenado pela Direção Geral do Ensino Superior – DGES): de 11 a 15 de setembro de 2017 (Documentação necessária à matrícula)

(Nota: Informam-se os estudantes que caso não efetuem a matrícula nas datas referidas, perderão a vaga.

Para mais informações consulte o site oficial da DGES (www.dges.mctes.pt) ou contacte o Gabinete de Acesso ao Ensino Superior do distrito de Bragança através do e-mail saipb@ipb.pt

Workshop de Anilhagem Científica

WORKSHOP DE ANILHAGEM CIENTÍFICA

Workshop de Anilhagem Científica

ESA-IPB – Bragança – 23 e 24 julho 2016

Inscrições:

Inscrição 10 €
Sócios da WAVES (com quotas atualizadas) 0 €

Vagas Limitadas a 15 inscrições

Inscrições online

IPB ajuda Leicras a desenvolver queijo de cabra de cura extra longa

IPB ajuda Leicras a desenvolver queijo de cabra de cura extra longa

A Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Bragança está a completar o ensaio de um novo queijo de leite de cabra serrana, com cura extra longa. O produto surge no âmbito de uma parceria constituída há dois anos entre o IPB, a Leicras – Cooperativa de Produtores de Leite de Cabra Serrana e a marca Quinta de Alvar, da Queijaria Vaz, de Mirandela, no âmbito de um projecto financiado por fundos comunitários através do programa PRODER.

O novo queijo foi apresentado a 150 consumidores em superfícies comerciais e feiras locais e nacionais, de forma a que pudessem dar a sua opinião sobre o produto.

Um trabalho que ficou concluído no mês passado. Fernando Sousa, professor e responsável técnico do laboratório de análise sensorial da Escola Superior Agrária de Bragança, explica o tipo de produto que foi dado a conhecer aos participantes destas degustações.

“Acompanhamos três lotes de queijos desde o fabrico ao longo de 2 anos e de 6 em 6 meses fizemos degustações em grandes superfícies e feiras e estamos a completar esse ensaio com queijos que têm 14, 19 e 24 meses de cura. São dadas três amostras de queijos aos consumidores e eles avaliam e expressam a preferência”, refere.

O objectivo é que no final do estudo os investigadores possam aconselhar a Leicras sobre a preferência dos consumidores quanto a um queijo de cabra de cura extralonga.

Os inquéritos dos consumidores que provaram os queijos estão, nesta altura a ser analisados.

Já no passado mês de Maio foram apresentados outros três queijos de ovelha, resultantes deste projecto e que já estão a ser comercializados: o queijo de cura prolongada, de sete, nove e 24 meses, o queijo curado com malagueta e o queijo de cura prolongada ralado.

Fernando Sousa explica que, da parte do Instituto Politécnico, estão “envolvidos quatro laboratórios no projecto: o de análises de físico-química, microbiológica, análise sensorial e de tecnologia alimentar, porque alguns dos queijos foram elaborados durante o processo de desenvolvimento em instalações da Escola Superior Agrária”.

As entidades envolvidas esperam que o projecto continue a dar frutos, ou neste caso queijos, com o objectivo de conseguir uma maior inovação e valorização dos produtos da região.

em Rádio Brigantia

Presidente Marcelo Rebelo de Sousa visitou Centro de Investigação de Montanha

O Presidente da República visitou o Centro de Investigação de Montanha do Instituto Politécnico de Bragança, onde contactou com investigadores nacionais e estrangeiros deste centro.

Após a visita encontrou-se, no átrio do edifício Principal do IPB, com estudantes de múltiplas comunidades estrangeiras, incluindo sírios, cabo-verdianos, que celebravam o Dia Nacional deste País lusófono, timorenses e brasileiros, entre outras.

em www.presidencia.pt

cimo_RTP

Centro de Investigação de Montanha na agenda de Marcelo.

Em visita a Trás-os-Montes, o presidente da República vai conhecer na terça-feira o Centro de Investigação de Montanha, uma valência do Instituto Politécnico de Bragança.

Foi criado para desenvolver projetos na área agroalimentar e zootécnica e conta com o trabalho de investigadores portugueses e estrangeiros.

em RTP

Vai um queijo da Serra da Estrela com flor de castanheiro?

Vai um queijo da Serra da Estrela com flor de castanheiro? Centro de Investigação da Montanha, de Bragança, está a fazer o teste

Incorporar a flor do castanheiro em queijo tipo Serra da Estrela não DOP, com vista a produzir um alimento novo do ponto de vista organolético, é o trabalho que tem vindo a ser promovido por um grupo do Centro de Investigação de Montanha do Instituto Politécnico de Bragança, liderado por Isabel Ferreira. Pretende-se conferir benefícios aos consumidores e potencialmente vir a substituir conservantes sintéticos, cujas implicações para a saúde são conhecidas.
Este trabalho é fruto de uma parceria de cooperação para a inovação financiada pelo ProDer, envolvendo a empresa Queijos Matias.

Este grupo de investigação tinha já caracterizado as propriedades da flor do castanheiro, tendo verificado a sua excelente capacidade antioxidante e antimicrobiana em diversos produtos alimentares.

Os primeiros resultados desta iniciativa têm despertado o interesse da comunidade científica, tendo um dos seus membros, Márcio Carocho, sido distinguido com um “Scholar Award” pela apresentação desta investigação na conferência internacional “Food Studies”, que decorreu recentemente na cidade de Prato em Itália, no final de Outubro.

As flores de castanheiro são subprodutos não valorizados, que caem da árvore na época da floração, e que podem vir assim a acrescentar inovação a um produto tradicional, podendo daí resultar mais valias para toda a cadeia de produção e de comercialização num queijo de excelência, particularmente apreciado pelas suas características singulares.

Recorde-se que o queijo da Serra da Estrela é dos queijos mais conhecidos de Portugal, feito a partir de queijo de ovelha, com a adição de flor de cardo e sal. Em 1996, a União Europeia atribuiu-lhe uma Denominação de Origem Protegida (DOP), mas até à data existem poucos estudos científicos acerca deste queijo, das suas propriedades e potencialidades.

em CiênciaHoje

Visita técnica busca internacionalização da Pós-Graduação em Ciências Agrárias

A visita técnica do professor José Alberto Pereira do Instituto Politécnico de Bragança, Portugal, reforçou o convênio entre a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e o Instituto de Bragança. Com o convênio entre as duas instituições desde 2010, Cardoso é o primeiro professor do Instituto a fazer o intercâmbio de docência no programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias da UFRB.Docente ESA-IPB no Brasil

Para a coordenadora de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pós-Graduação da UFRB, professora Franceli da Silva, a visita técnica foi um intensivo acadêmico que contribuiu na elaboração de estratégias para internacionalização do programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias. “Pensamos em formas de estreitar a colaboração entre as duas instituições, entre elas, a realização de um workshop sobre agroecologia com ênfase em agricultura sustentável, na linha de bioecologia e manejo que é uma das linhas do Programa de Ciências Agrárias. A previsão é que o evento seja realizado no primeiro semestre de 2015”, afirma Franceli.

Ações para fomentar o intercâmbio dos estudantes e docentes da UFRB e do Instituto Politécnico de Bragança também foi tema de debate, de acordo com o professor visitante. “Eu penso que a colaboração vai estreitar ainda mais. Aqui tem um conjunto de professores que tem vontade de trabalhar conosco e nós também temos um conjunto de docentes que tem muita vontade de trabalhar com a UFRB, por isso, está previsto a vinda de muito mais colegas para fortalecer o programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias, para ajudar nas orientações, participar de bancas, fazer artigos, entre outros”, destaca Pereira. Já em relação aos estudantes, “o objetivo é o discente fazer grande parte do trabalho aqui e depois ter uma mobilidade em nossa instituição em Portugal para trabalhar os dados de forma diferente”, aponta.

O professor José Alberto Pereira também visitou projetos da UFRB no território do sisal, foi responsável pela disciplina condensada na área de proteção integrada de pragas e agricultura sustentável e presidiu a banca de doutorado da estudante Simone Teles. Junto com ele, o estudante de doutorado do Instituto Politécnico de Bragança, Ricardo Malheiro, também esteve na UFRB. Ele ministrou a aula de redação científica em um intensivo de 15 dias e teve como resultado a produção de cinco artigos a serem publicados em revistas especializadas.

em UFRB

Cursos de Agronomia ainda garantem emprego

Director da Escola Agrária do Politécnico de Bragança alerta para o perigo de extinção do engenheiro florestal debatem Portugal. E que não há candidatos.

Albino Bento corta a direito: “Os cursos de Agronomia são dos que mais emprego garantem em Portugal e, mesmo assim, muitas vagas ficam por preencher”

Na Conferência de Macedo de Cavaleiros (parceria CM, JdN e BPI), o diretor da Escola Agrária do Instituto Politécnico de Bragança alertou mesmo para a possibilidade de “extinção” a curto prazo, do engenheiro florestal no nosso país.

“A Engenharia Florestal”, que no meu entendimento é uma área estratégica para o nosso país, não tem procura. O curso existe em cinco escolas e, ao todo, não tem mais de quinze alunos“, afirmou o professor.

Neste debate, Francisco Pavão, da Comissão Vitivinícola de Trás-os-Montes, deu conta do bom andamento na revitalização da vinha, sublinhando que a região já produz três milhões de litros de vinho certificado.

“Durante muitos anos verificou-se um enorme abandono da vinha, pelo que ainda temos muito caminho a trilhar na reconversão”, afirmou Francisco Pavão, mostrando-se confiante no sucesso cada vez maior dos vinhos da região.

Fernando Moreno, presidente da Câmara Municipal de Macedo de Cavaleiros, lembrou que é “necessário continuar a apoiar todos aqueles que queiram apostar na terra como forma de vida, uma vez que o que existe é, no essencial, agricultura de subsistência”

“Somos um concelho rural, mas os censos de 2011 dão conta de apenas 14 por cento de agricultores”, exemplificou o autarca.

Miguel Ribeiro, do banco BPI, disse que “o que tem acontecido na agricultura portuguesa é uma revolução, tanto ao nível do crescimento como da criação de emprego”. Para o gestor, os homens da terra “são um exemplo”.

PRORURIS APOIOU CEM AGRICULTORES
A Proruris, empresa municipal de Vinhais, dedicada ao desenvolvimento rural, foi criada há seis anos e ajudou a instalar mais de cem jovens agricultores. Além disso, dá apoio a cerca de 1200 agricultores da região.

MACEDO TORNA-SE CAPITAL DO MEL
Com uma produção a rondar as cem toneladas de mel por ano, o concelho de Macedo de Cavaleiros quer afirmar-se como “capital nacional da apicultura”. A revelação foi feita pelo presidente da câmara.

PORMENORES PEQUENA AGRICULTURA
Carlos Silva, presidente da Proruris, defende que “é um erro negligenciar a pequena agricultura”, assegurando que “ela garante os fornecimentes à agroindústria”.

SEIS MILHÕES DE LITROS
Os quatro mil viticultores de Trás-os-Montes produzem seis milhões de litros de vinho por ano, mas só metade (três milhões de litros) é certificado.

NOVAS PLANTAÇÕES
A região de Trás-os-Montes já atingiu os 65 engarrafadores, num crescimento que acompanha os 600 hectares de novas plantações.

BAIXAS EXPORTAÇÕES
Apesar do crescimento registado (a região já tem mais de dez mil hectares de vinha), as exportações ainda no ultrapassam os cinco por cento.

CULTURAS ALTERNATIVAS
Em Macedo de Cavaleiros há uma empresa que produz 250 toneladas de morangos por ano – uma alternativa.

Publicado em ‘ Jornal de Negócios’ 20 de Novembro de 2013.

I Jornadas Técnico-científicas de Tracção Animal

I Jornadas Técnico-científicas de Tracção AnimalMais informação no sitio da Associação Portuguesa de Tracção Animal

Older posts

© 2017 Notícias ESA

Theme by Anders NorenUp ↑